Pular para o conteúdo principal

o fim da ousadia


Pintei as unhas de preto. Preto assim, não um preto só preto. Um preto meio prateado, sei lá, nem interessa. É um preto bem metido a besta. Até o nome de batismo é daqueles bestas, de mãe que quer ser arrojada no nome do filho. Achei que foi grande galhardia! Concluí sozinha no quarto “ acabei de cometer uma grande ousadia”. Não decidi ainda se eu gostei ou não disso, vou demorar dias para saber. Estranho por não ser o vermelho habitual, com as variações de tons dos alaranjados aos marrons duvidosos. Estão aqui, dez unhas das minhas lindas e macias mãos desse preto metido a besta.



Propaguei minha ousadia com orgulho, espalhei aos quatro ventos. Ou cinco. Bom, por todos os ventos, brisas ou ventanias. Recebi palavras de incentivo, elogio da mãe, sorriso amarelo do pai. Passei extra brilho para garantir a durabilidade. Que dure pelo menos tempo suficiente para eu decidir se gostei ou não. Ficaremos juntos até que o acetona nos separe. Mostrei até para os gatos!



Estava eu, aproveitando o auge da minha ousadia quando ligou o dono dos meus sorrisos.

- Amor, nem te conto, fiz uma ousadia!

- Fez? Conta!

- Pintei as unhas de preto, um preto não todo preto, mas um preto metido a besta, sabe?!

- Amorzinho, perto das tuas outras ousadias, pintar as unhas de preto não entra na categoria atrevimentos.



CHUÁÁÁÁÁ. Minha coragem em forma de esmalte foi alagada por um balde de água fria. Eu estava no dilúvio e pior, fora da arca. Olhei para as unhas. Ainda não decidi se gostei ou não da cor. Mas não cometi ousadia. A não se a de pintar as unhas sem saber e ter a co-ra-gem de sair na rua assim.



Pensando bem, ele tem razão. O moço das molinhas tem toda a razão. Eu sou bem mais audaciosa de unhas vermelhas. Juntos, pioramos, somos intrépidos da melhor espécie. Esses dias dançamos música lenta imaginária num show de rock. Acho que estava tocando um cover do Led Zeppelin. Não para nós.



Ousamos a felicidade de fazer o que temos vontade.



Quanto às unhas, bom, acabei de comprar esmalte branco. Farei bolinhas. Unhas petit Poá.



E ai do amorzinho se desdenhar da minha ousadia!

Kiss style!

All My Love

Should I fall out of love, my fire in the light?
To chase a feather in the wind
Within the glow that weaves a cloak of delight
There moves a thread that has no end

 
For many hours and days that passes ever soon
The tides have caused the flame to dim
At last the arm is straight, the hand to the loom
Is this to end or just begin?

 
All of my love, all of my love
Oh all of my love to you now
All of my love, all of my love
Oh all of my love to you now

 
The cup is raised, the toast is made yet again
One voice is clear above the din
Proud Aryan one word, my will to sustain
For me, the cloth once more to spin

 
All of my love, all of my love
Oh all of my love to you now
All of my love, all of my love
Yeah all of my love to you child

 
Yours is the cloth, mine is the hand that sews time
His is the force that lies within
Ours is the fire, all the warmth we can find
He is a feather in the wind

 
All of my love, all of my love
Oh all of my love to you now

 
All of my love, oh love yes
All of my love to you now
All of my love, all of my love
All of my love, love

 
Sometimes, sometimes
Sometimes, sometimes
Hey, hey, hey, hey
Hey, hey, hey, hey

 
Oh yeah, it's all, all, all of my love
All of my love, all of my love to you now
All of my love, all of my love
All of my love, to, to you and you, and you and yeah

 
I get a bit lonely, just standing up
Just standing up
Just standing up lonely
Just I get a bit lonely

Comentários

CLA disse…
VOCËS DOIS SAO O CASAL MAIS AFUDÊ QUE EU JA VI NA VIDA! CASEM. CASEM MESMO. FIQUEM JUNTOS PARA SEMPRE. SÓ NÃO DIGO SE AMEM PORQUE VI NOS OLHOS DOS DOIS QUE O AMOR ESTÁ MAIS DO QUE ACONTECENDO. AMAMOS VOCÊ KUKYNHA!
BETO disse…
Bocuda, esse é teu namoro mais feliz. Curte.

Amo vc, bjs!Saudade.
Anônimo disse…
Eu amo ler tudo que vc escreve.
Carlos disse…
Juro que fiz um comentário neste post... Mas ele não está aqui!!!
E eu não lembro mais o que escrevi... Acho que foi algo a ver com as tuas ousadias...
OUSE, Kukynha! Ouse sempre! Ouse MUITO!!!

Postagens mais visitadas deste blog

simpatia para parar de chover

Só para seguir a tradição, chove. Nos primeiros dias das minhas férias na praia é sempre o que acontece. O primeiro dia geralmente tem um sol sedutor, um calor de matar, mar lindo. Depois chove. Eu gosto de chuva. Mesmo na praia, mesmo de férias. Mas também gosto de aproveitar o mar, a areia, gosto de caminhar, de tostar no sol e ficar enfarofada junto com o meu filho, usar chinelos em vez de galochas.
Por isso aprendi várias simpatias!
Sueli, que trabalha na minha casa desde a pedra fundamental, disse que se deve jogar um punhado de sabão em pó no telhado. Pedir para Santa Luzia limpar o tempo. Já fiz isso. Considerando o preço do sabão em pó, gostaria de saber se a santa poderia limpar o tempo com sabão em barra. Sem falar que no ano passado sofri um pequeno acidente Bem na horinha que fui jogar o sabão, bateu um vento que trouxe todo o pozinho azul direto para o meu rosto. Nunca tive olhos e boca mais brancos! Sem manchas desde a primeira lavagem.
A avó do meu amigo Felipe, Dona Sa…

a noiva do vento

Peça para uma criança definir o vento. Eu apenas acreditava na existência real do ar quando ele virava vento. Quando era tomado de força, ganhava forma, movimento, atiçava a minha curiosidade. A observação do vento ainda atrai os pequenos. Na pracinha aqui perto havia uma menina sentada à sombra com a mãe. Olhava com atenção as folhas secas que trocavam de lugar no chão. Nem balanço, nem gangorra, a garota estava descobrindo o vento.
O vento tem intimidade com a paixão.
Oskar Kokoschka pintou A NOIVA DO VENTO com pinceladas desesperadas, cores nervosas, num quadro que emoldura a própria enxaqueca do abandono. Na obra, uma mulher adormecida sobre um corpo masculino, cujos olhos não passam de órbita vazia – tradução da ausência de vida. A mulher não o deixa, mesmo que ele já a tenha deixado. Mesmo que ele já esteja morto. A ausência de qualquer conotação sexual pela ausência de cores quentes (vermelho, laranja) e o excesso de tudo aquilo que pode faltar, que remete ao gelo e à solidão pe…

joelho

Coisa bem feia é joelho. Não me afeiçoa a palavra, nem a parte do corpo, em que pese reconheça a importância. Tanto reconheço, que se eu jurar algo pelos meus joelhos, será verdade. Justifico: me falta a memória para lembrar quando a expressão surgiu, talvez, nos idos de 2010. Acho. Eu fui muito dramática em 2010.
Pode ser que, embalada por um café passado, quase frio e sem açúcar, não menos amargo que a pauta da conversa com um amigo, tenha surgido a dúvida sobre algum sentimento que profetizei.
“Jura" - ele deve ter perguntado. “Pelos meus joelhos, juro pelos meus joelhos!” - lembro de ter respondido.
Os joelhos são feios e úteis. São complicados e importantes. Entre o fêmur, a tíbia e a fíbula; colaterais, cruzados e meniscos. É como o amor. Entre o eu te amo, a entrega e a vida; medos, expectativas, preservação.
Por que as crianças estão sempre com os joelhos ralados? Porque são destemidas. Até que se abra o primeiro corte, que se faça a primeira cicatriz. Até que o pai advirta.E…