Pular para o conteúdo principal

talvez seja o amor


Talvez seja o amor um beco pintado de amarelo. Talvez seja um poço vazio. Talvez seja o amor uma brisa em tarde de domingo ou um suspiro. Um retrato antigo da infância, um bolo de milho, o pó da estrada, a porta da frente.

Talvez seja o amor essa falta de senso, este excesso de zelo, a cumplicidade, o vapor da água fervendo. Talvez seja o amor a mesa posta, a carta escrita, o verbo dito. Talvez seja o amor uma janela aberta. Talvez seja o amor uma insanidade.

Talvez seja o amor essa combinação rara das cores e as conexões sem sentido. A facilidade para dizer o que o outro diria, para invadir ideias ou dividir a sobremesa e a lua. E a cama. E o dia. Bom dia.

Talvez seja o amor esses momentos, a fotografia da memória, a saudade madura, o segredo das horas, a esticada dos segundos. Talvez seja o amor um rolo de feno, uma pausa no acostamento para dançar de rosto colado, a gargalhada que fugiu. Talvez seja o amor uma rede para dois, o cheiro da chuva, a dedicatória no livro, o sol atrás do morro.

Talvez seja o amor a falta, a incompletude, a ausência. A curva do corpo que se molda à mão. A boca que encontra na outra o seu encaixe. Talvez seja o amor um abraço. Talvez o amor seja o vício. Ou o brilho que ele tem no olho. Ou o sorriso que eu carrego no rosto. Talvez seja o amor o infinito. 



Loving You Is Sweeter Than Ever - Eric Clapton


I remember yet before we met
When every night and day
I had to live the life of a lonely one.
And I remember meeting you,
Discovering love could be so true
When shared by two, 'stead of only one.

When you said you loved me
We could not be parted.
Said, I built my world around you
And I'm truly glad I found you

Because loving you has made my life sweeter than ever.
I never felt so good before.
Loving you has made my life sweeter than ever.
Yes it has, you know it has.

Each night I pray we'll never part
Because the love within my heart
Grows stronger from day to day.
Best I try, hard I try
To reassure and satisfy.
You know I'd be lost if you went away.

Bridge

Because loving you has made my life sweeter than ever.
Yes it has, I know it has.
Loving you has made my life sweeter than ever.

Bridge

Because loving you has made my life sweeter than ever.
I never felt so good before.
Loving you has made my life sweeter than ever.
Yes it has, you know it has.
Loving you has made my life sweeter than ever.
Don't you know my baby there.
Loving you has made my life sweeter than ever


Comentários

Keila disse…
Ameiii!
Nos últimos dias eu tenho falado tanto sobre amor e aí tu escreves um texto desse. Lindo!
Dani disse…
Amor é lindo, bem aproveitado e correspondido é mais que lindo. Parabéns para vocês que sabem fazer isto. Vida eterna ao amor que vocês tem.

Bjs de quam admira amboS!

Adoro a forma como escreves, lindas palavras,colocações poéticas...afago na alma.Parabéns!bjs
Dulce Miller disse…
Texto lindo... parabéns!!!

Postagens mais visitadas deste blog

simpatia para parar de chover

Só para seguir a tradição, chove. Nos primeiros dias das minhas férias na praia é sempre o que acontece. O primeiro dia geralmente tem um sol sedutor, um calor de matar, mar lindo. Depois chove. Eu gosto de chuva. Mesmo na praia, mesmo de férias. Mas também gosto de aproveitar o mar, a areia, gosto de caminhar, de tostar no sol e ficar enfarofada junto com o meu filho, usar chinelos em vez de galochas.
Por isso aprendi várias simpatias!
Sueli, que trabalha na minha casa desde a pedra fundamental, disse que se deve jogar um punhado de sabão em pó no telhado. Pedir para Santa Luzia limpar o tempo. Já fiz isso. Considerando o preço do sabão em pó, gostaria de saber se a santa poderia limpar o tempo com sabão em barra. Sem falar que no ano passado sofri um pequeno acidente Bem na horinha que fui jogar o sabão, bateu um vento que trouxe todo o pozinho azul direto para o meu rosto. Nunca tive olhos e boca mais brancos! Sem manchas desde a primeira lavagem.
A avó do meu amigo Felipe, Dona Sa…

a noiva do vento

Peça para uma criança definir o vento. Eu apenas acreditava na existência real do ar quando ele virava vento. Quando era tomado de força, ganhava forma, movimento, atiçava a minha curiosidade. A observação do vento ainda atrai os pequenos. Na pracinha aqui perto havia uma menina sentada à sombra com a mãe. Olhava com atenção as folhas secas que trocavam de lugar no chão. Nem balanço, nem gangorra, a garota estava descobrindo o vento.
O vento tem intimidade com a paixão.
Oskar Kokoschka pintou A NOIVA DO VENTO com pinceladas desesperadas, cores nervosas, num quadro que emoldura a própria enxaqueca do abandono. Na obra, uma mulher adormecida sobre um corpo masculino, cujos olhos não passam de órbita vazia – tradução da ausência de vida. A mulher não o deixa, mesmo que ele já a tenha deixado. Mesmo que ele já esteja morto. A ausência de qualquer conotação sexual pela ausência de cores quentes (vermelho, laranja) e o excesso de tudo aquilo que pode faltar, que remete ao gelo e à solidão pe…

joelho

Coisa bem feia é joelho. Não me afeiçoa a palavra, nem a parte do corpo, em que pese reconheça a importância. Tanto reconheço, que se eu jurar algo pelos meus joelhos, será verdade. Justifico: me falta a memória para lembrar quando a expressão surgiu, talvez, nos idos de 2010. Acho. Eu fui muito dramática em 2010.
Pode ser que, embalada por um café passado, quase frio e sem açúcar, não menos amargo que a pauta da conversa com um amigo, tenha surgido a dúvida sobre algum sentimento que profetizei.
“Jura" - ele deve ter perguntado. “Pelos meus joelhos, juro pelos meus joelhos!” - lembro de ter respondido.
Os joelhos são feios e úteis. São complicados e importantes. Entre o fêmur, a tíbia e a fíbula; colaterais, cruzados e meniscos. É como o amor. Entre o eu te amo, a entrega e a vida; medos, expectativas, preservação.
Por que as crianças estão sempre com os joelhos ralados? Porque são destemidas. Até que se abra o primeiro corte, que se faça a primeira cicatriz. Até que o pai advirta.E…