Pular para o conteúdo principal

matrimônio

Casei. Casamos.

Caro senhor Barão de Itararé, com todo o respeito, permita-me dizer que houve um grande equívoco de sua parte ao declarar que o casamento é uma tragédia em dois atos. Nem civil, nem religioso. O casamento é um dos eventos mais legais da vida. As duas cerimônias juntas foram encantadoras, com nossa família reunida e animada. Mas o melhor de casar é a vida de casados.

Não somos nem de longe uma família de comercial de margarina, nosso café da manhã nem margarina tem, para falar a verdade. Temos sim muito amor, humor e disposição. Cuidamos demais um do outro, cultivamos bons hábitos de educação, respeito e risadas dentro de casa.

Nossos chinelos se escondem embaixo do sofá pela manhã, porque à noite ficaram envergonhados de testemunhar todos os assuntos que se desenrolam em cima. São debates sobre variedades de assuntos com pausas estratégicas para os carinhos, beijos furtados de supetão, apertos entusiasmados. Também há aqueles momentos em que as palavras vão embora sem explicar o porquê, dando lugar aos olhares que deslizam pelo rosto. A satisfação vem sem ser convidada.

Nós temos um filho, um gato, algumas plantas e uma horta. Nós temos janelas abertas para que a cidade caiba nas molduras do apartamento. Juntamos nossas histórias e infâncias trazendo para o lar alguns objetos que foram dos nossos pais – provavelmente aqueles em que tocávamos escondidos, temendo a advertência. Unimos nossos hábitos, manias, simpatias e imperfeições. Eu aprendi a guardar a minha roupa no armário, ele aprendeu a comer verduras. Eu ainda não fecho as portas do armário, ele ainda espalha copos pela casa. Acordo cedo, mas não resisto aos apelos dos cinco minutinhos. Ele dorme tarde, mas não deixa de me dar carinho.

Casamento não é só um contrato. Não é só uma cerimônia. Casamento é desde o primeiro beijo saber que os destinos se encontraram, é encontrar no outro o que amar. É amar mais e melhor. É o amor. É o amor. É o amooor!


A vida de casado é boa. Acordar ao lado da pessoa que você ama é uma sensação que Deus nos deu de presente. Tudo tem sido melhor do que imaginamos, até o que continua igual: colar um no outro quando enrolamos os caracóis. 




Close to you - the carpenters


Why do birds suddenly appear
Everytime you are near?
Just like me, they long to be
Close to you

Why do stars fall down from the sky
Everytime you walk by?
Just like me, they long to be,
Close to you

On the day that you were born
The angels got together
And decided to create a dream come true
So they sprinkled moondust in your hair
And golden starlight in your eyes of blue

That is why all the girls in town
Follow you, all around
Just like me, they long to be
Close to you

On the day that you were born
The angels got together
They decided to create a dream come true
So they sprinkled moondust in your hair
Of gold and starlight in your eyes of blue

That is why all the girls in town
Follow you, all around
Just like me, they long to be
Close to you

Just like me, they long to be
Close to you


Woo... close to you...

Comentários

Laura disse…
Casar com o amor da sua vida é divino!!!!!!!! Tb fiz isso.

Beijocas, Bocão.
Keila disse…
Espalhar copos pela casa é uma arte (que eu pratico), muito difícil de deixar rsrs

Post lindo. Foto mais linda ainda. Família linda!

Postagens mais visitadas deste blog

simpatia para parar de chover

Só para seguir a tradição, chove. Nos primeiros dias das minhas férias na praia é sempre o que acontece. O primeiro dia geralmente tem um sol sedutor, um calor de matar, mar lindo. Depois chove. Eu gosto de chuva. Mesmo na praia, mesmo de férias. Mas também gosto de aproveitar o mar, a areia, gosto de caminhar, de tostar no sol e ficar enfarofada junto com o meu filho, usar chinelos em vez de galochas.
Por isso aprendi várias simpatias!
Sueli, que trabalha na minha casa desde a pedra fundamental, disse que se deve jogar um punhado de sabão em pó no telhado. Pedir para Santa Luzia limpar o tempo. Já fiz isso. Considerando o preço do sabão em pó, gostaria de saber se a santa poderia limpar o tempo com sabão em barra. Sem falar que no ano passado sofri um pequeno acidente Bem na horinha que fui jogar o sabão, bateu um vento que trouxe todo o pozinho azul direto para o meu rosto. Nunca tive olhos e boca mais brancos! Sem manchas desde a primeira lavagem.
A avó do meu amigo Felipe, Dona Sa…

a noiva do vento

Peça para uma criança definir o vento. Eu apenas acreditava na existência real do ar quando ele virava vento. Quando era tomado de força, ganhava forma, movimento, atiçava a minha curiosidade. A observação do vento ainda atrai os pequenos. Na pracinha aqui perto havia uma menina sentada à sombra com a mãe. Olhava com atenção as folhas secas que trocavam de lugar no chão. Nem balanço, nem gangorra, a garota estava descobrindo o vento.
O vento tem intimidade com a paixão.
Oskar Kokoschka pintou A NOIVA DO VENTO com pinceladas desesperadas, cores nervosas, num quadro que emoldura a própria enxaqueca do abandono. Na obra, uma mulher adormecida sobre um corpo masculino, cujos olhos não passam de órbita vazia – tradução da ausência de vida. A mulher não o deixa, mesmo que ele já a tenha deixado. Mesmo que ele já esteja morto. A ausência de qualquer conotação sexual pela ausência de cores quentes (vermelho, laranja) e o excesso de tudo aquilo que pode faltar, que remete ao gelo e à solidão pe…

joelho

Coisa bem feia é joelho. Não me afeiçoa a palavra, nem a parte do corpo, em que pese reconheça a importância. Tanto reconheço, que se eu jurar algo pelos meus joelhos, será verdade. Justifico: me falta a memória para lembrar quando a expressão surgiu, talvez, nos idos de 2010. Acho. Eu fui muito dramática em 2010.
Pode ser que, embalada por um café passado, quase frio e sem açúcar, não menos amargo que a pauta da conversa com um amigo, tenha surgido a dúvida sobre algum sentimento que profetizei.
“Jura" - ele deve ter perguntado. “Pelos meus joelhos, juro pelos meus joelhos!” - lembro de ter respondido.
Os joelhos são feios e úteis. São complicados e importantes. Entre o fêmur, a tíbia e a fíbula; colaterais, cruzados e meniscos. É como o amor. Entre o eu te amo, a entrega e a vida; medos, expectativas, preservação.
Por que as crianças estão sempre com os joelhos ralados? Porque são destemidas. Até que se abra o primeiro corte, que se faça a primeira cicatriz. Até que o pai advirta.E…