Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2013

proclamas

Antigamente, se você não casava, era visto com maus olhos. Se era homem beirando os quarenta anos, teria a opção sexual questionada pela cidade. Seria chamado de solteirão e poderia, com algum esforço, ser uma lenda. Conheço algumas histórias interessantes que escutei das tias velhas do interior. Hoje as duas são solteironas – oitenta e todos anos – moram com vários gatos e um tio solteirão – oitenta e todos anos. Não sei por que não casaram. Mas cogitei que a genética pudesse transmitir o gene de tempos em tempos, pulando algumas gerações. Já que é para fazer lenda...
Sendo mulher solteira, ganharia na cidade fama de encalhada. Ficaria para titia. Teria investigados os hábitos de péssima cozinheira, bordadeira, dona de casa. Seria taxada de beata convicta caso frequentasse a Igreja. Antigamente, era feio ser solteiro.
Hoje acontece o contrário! Casar complicou tanto que o Cartório envia um manual de instruções. Você precisa de documentos atualizados e duas testemunhas antes mesmo de e…

dê flores, não dê motivos

Quer fazer uma guerra instantânea? Esqueça o dia do aniversário dela. Delete o dia dos namorados. Apague o dia internacional da mulher. Não lembre a data do aniversário de namoro. As mulheres gostam – algumas exigem – que os homens tenham calendários na memória. E sim, pode ser na memória do celular. Este tipo de cola é permitida. Não precisa saber quando foi que iniciou a Primeira Guerra Mundial. Ouse pensar quando foi o primeiro beijo.
Eu cheguei à conclusão que mulheres gostam de comemorar. É a desculpa para ganhar flores, abrir um vinho, jantar fora. Elas querem ser levadas para dançar. Querem ir a um motel, sair da rotina. Trocar a roupa de cama pela areia da beira da praia.
É a permitida infidelidade da rotina. É a expectativa de ganhar café na cama e a desculpa perfeita para poder extrapolar um pouco sem ser reprimida. Quem reclamaria de um decote no dia internacional da mulher? Corre-se o risco de ser queimado em praça pública junto com um sutiã por uma revolucionária militant…

a teoria do cachorro-quente

Querida amiga, desconfie de homem que te leva para comer sushi. Ele pretende pedir você de sobremesa. Com ou sem cobertura de chocolate. A escolha do cardápio denuncia a intenção de um homem.
Um homem que a convida para jantar e leva em um restaurante japonês pretende ter uma noite de sexo. Analise: é uma refeição leve, cuja digestão não dá muito trabalho ao organismo. É extremamente fálico o ato de comer com os palitos, pode ser até sexy.
Da mesma maneira um homem que convida para jantar, se oferece para cozinhar e faz risoto. Ele quer sexo. Homem pensa que fazer risoto é o equivalente ao Viagra feminino. Agradará ao cão, dirá que ama crianças e, se duvidar, ainda lavará a louça enquanto divaga sobre a safra do vinho. Tentará de todas as maneiras impressionar com a única finalidade de fazer amor.
Se o prato for salmão com alcaparras, ele é preguiçoso na cozinha. Mas, igualmente, quer transar depois da refeição. Ou depois da sobremesa, porque é provável que compre um pote de sorvete. S…