sábado, 26 de março de 2011

mudices

As nossas conversas são boas e as nossas mudices são melhores. Entendo que as nossas mudices são conversas sem palavras. Entendo que eu tenho conversado muito assim, mais ouvindo. É um hábito que tenho desde criança, absorvo a alma lendo os gestos, decifrando códigos, montando as palavras nas frases como um quebra cabeça de intenções. Por mais que eu fale, que eu goste de escrever, meu interesse é ouvir. Não desperdiço um bom estranho. Nem um conhecido. Alguns amigos me conhecem há tanto tempo que me confundo nas lembranças, nossas histórias fazem uma trama, apesar dos longos períodos distantes. Gosto de quando sentamos no sofá olhando pro mesmo nada da parede, depois recebo um agrado com o dedo indicador escorregando pelo meu nariz. É minha deixa pra sorrir sem mostrar os dentes, iniciando a pauta da noite. Aguardo pela análise detalhada, pelo de deboche que acaba, invariavelmente, em traçar um perfil psicológico da situação. Está feita a minha análise.



Nunca me zanguei por isso, a amizade é um fabuloso divã. Argumento contra, justifico as atitudes, fico bufando, bato os pés para acabar aceitando alguns baldes de água fria. É comum ouvir que não sei ser contrariada, pelas últimas três décadas, é o que eles mais têm feito.



Ando apreciando outros silêncios enquanto escuto músicas antigas. Rolling Stones, Kiss, Simon & Garfunkel, Beatles, Aerosmith, Queen, para situações novas, antigos conselhos.



Nada é tão inédito para jamais ter sido cantado.



Vigio o mudo relógio do celular, que não faz tic tac. Mudo, ao ponto de não acusar as mensagens que antes eu mal conseguia responder em ordem. Que aqui não se confunda o silêncio com o vazio, porque ele está cheio. As mudices são pintadas nas paredes com tinta neon.



No banco do meu carro as palavras ditas se empilham no banco do passageiro. São as minhas companheiras no sinal vermelho. Pausa. Mais uma vez eu me encontro sem mapa, ou melhor, me desencontro perdida. Aqui, sem bússola ou placa, sem informação do destino, confiro aquilo tudo que estava avisado antes sobre a estrada. Tudo se confirma. Inclusive a previsão do tempo.



Alguns rancores, alguns medos, muitas vírgulas. Temperamento difícil, exageros, extremos, euforias que precisam ser domadas. Uma vida diferente, com regras que eu nunca tive porque sempre caminhei na beira do barranco. A queda é tentadora, seduz minha curiosidade quem já caiu e escalou o penhasco pro lado de cá. É mesmo uma vida a ser levada no caminho que a luz indica. E eu disse sem falar: quero. E o que eu digo agora? Que já passei pelo sinal amarelo, pelo vermelho e agora espero que acenda a luz verde. Quero. Quero muito. Não deixei de querer. Quero a luz verde que vai me dizer “siga livre”.



Prefiro tudo isso sem mapas. Tão inúteis quanto os manuais de instruções. Ou explicar de onde viemos.



Ou explicar como. Há tantas verdades nos silêncios.



Parabéns Porto Alegre, cidade onde o sol sempre vai dormir mais bonito.
 
Amo Porto Alegre.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Miss You (Rolling Stones embalou uma arrumação de quarto da-que-las... muito sexy #NOT)


I've been holding out so long
I've been sleeping all alone
Lord I miss you
I've been hanging on the phone
I've been sleeping all alone
I want to kiss you

Oooh..

Well, I've been haunted in my sleep
You've been starring in my dreams
Lord I miss youI've been waiting in the hall
Been waiting on your call
When the phone rings
It's just some friends of mine that say,"Hey, what's the matter man?
We're gonna come around at twelve
With some Puerto Rican girls that are just dyin' to meet you.
We're gonna bring a case of wine
Hey, let's go mess and fool around
You know, like we used to"

Aaah...

Oh everybody waits so long
Oh baby why you wait so long
Won't you come on! Come on!

I've been walking in Central Park
Singing after dark
People think I'm crazy
I've been stumbling on my feet
Shuffling through the street
Asking people, "What's the matter with you boy?"

Sometimes I want to say to myself
Sometimes I say

Oooh..
I won't miss you child

I guess I'm lying to myself
It's just you and no one else
Lord I won't miss you child 
You've been blotting out my mind
Fooling on my time
 No, I won't miss you, baby, yeah

Lord, I miss you child

Aaah...

Lord, I miss you child

Aaah...

Lord, I miss you child

Aaah...

2 comentários:

Carlos disse...

Adoro o som do silêncio...

Anônimo disse...

Nossos assuntos são como vinho vc disse. Espero q a mudice de vcs tenha feito o assunto respirar tb.
Fabi