Pular para o conteúdo principal

porta fechada

Afastem-se. Sejamos precavidos, mais sensato manter longe do que mexer com explosivo. Fiquem longe os doloridos, os reprimidos, os gemidos, os coloridos, os bons maridos, os frascos e os comprimidos. Pro lado de lá vai quem chora, quem funga, quem espirra, quem finge, quem come bala de canela, quem esquece de secar as orelhas depois do banho, quem vira o chinelo pra porta e quem toma café com leite. Por favor, respeite a linha amarela. Para trás da faixa de contenção os que prestam atenção, os que pedem a mão, os que pedem perdão e qualquer outra qualidade que rime com “ão” em pessoas que pisem no chão. Pro lado de cá os metafísicos cientistas malucos, agrimensores, filósofos, teóricos, incendiários, deturpados, tarados, maníacos e os que têm pé chato. Longe.



Mais longe ainda os suicidas, homicidas, herbicidas e inseticidas. Quero bastante distância dos que usam óculos, dos que usam camisa xadrez, dos que acordam depois das seis, dos que bebem água no bico, dos que abrem as janelas. Aqueles que gostam de basquete, assistem seriados, colocam frase em inglês no meio de uma conversa ou atendem o telefone com a mão direita, fora. Se atender com a mão esquerda, fora também.



Obedeçam à sinalização, parem. Chega, tu de gola engomada, sai pra lá moço que não amarrou os tênis, o que masca chiclé, o de boné, o de máscara do zorro. Sai pra lá ainda o ranzinza e aquele de terno cinza. Tchau para os escabelados, para os carecas, para os arrumados, para os de barba feita, para os que têm bigode, para os que jogaram futebol de botão, para os que cortam as unhas às terças, para os que nunca completaram um álbum da Copa. Toca violão? Se sim ou se não, rejeitado. Sai quem tem cão, quem caça com gato, quem pisa na grama, quem puxa a coberta e quem deixa sempre um pingo caindo na pia. Economia é questão de ecologia!

Você é mal amado? Um passo pro lado. Você já colou com tenaz? Um passo pra trás. Já viu um defunto? Vai junto.

Quem já fingiu gagueira, já pregou tira de chinelo, inventou dor de barriga pra matar aula e plantou bananeira, não se aproxime. Quem dá duas voltas na chave pra trancar a porta, quem dirige carro branco, quem odeia azeitona, quem gosta de Alfred – seja Marshall, Hitchcock ou o mordomo do Batman -, quem buzina pra avisar que chegou, quem adoça o chá com açúcar, quem aperta a mão antes dos três beijinhos, adeus, saiam de fininho!

Aos que nunca acamparam, aos piratas, corsários, marujos de todo o gênero, aos hipocondríacos, tatuados, mórmons, esgrimistas, patriotas, melódicos, românticos, macrobióticos, pigmeus, alienados, avarentos, sarados, pessimistas, velejadores, perfumados, aos que são de escorpião, meus cordiais adeus.



Não quero nenhum claustrofóbico por perto. Fiquem afastados os que sofrem de asma. Os que têm bronquite também.



Hoje acordei de portas fechadas.

Não estou pra ninguém!

Pérolas do MELHOR ALMOÇO DA SEMANA:

- Quando eu vou fazer as coisas bonitinhas, certinhas, como manda o figurino, daí é que entro pelo cano!
- Quando tu faz tudo errado também...
- É, mas pelo menos me divirto!

***

- Existe estado civil embananada?

***

- Não pode ficar dando luz pra cego.

***

- Queria mais sobremesa...
- Por que não pega?
- Porque acabou a que eu gostei... BUÁÁÁ!
- Que foi?!
- SEMPRE que eu gosto, acaba!!!!!!!!!!

(todos riram, menos eu)

***

- Então tá... bom rever os amigos e saber que tudo segue igual. Eu casado, ela nos dilemas e tu...
-Eu tô bem!!!
- Bem gordo!

(todos riram, menos o gordo)
 
***
 
- A suspeita é o veneno da amizade.
- Todosmorre!
 
***
 
- Sabia que a girafa é muda?
- Posso casar com uma?
 
***
 
- Vou comprar doce só de raiva.
- Só de gula.
- Só de gorda.
- Não... só de nozes!
 
(como não tinha, comprei quindim e doce de amendoím!)
 
 
***
 
- E se estragar a amizade?
- Tu conserta!
- Ou chama o Pereirão.
 
***
 
UM BRINDE PRA QUEM INVENTOU A AMIZADE!
 
 
 
 
TRILHA SONORA
 
Solidão é lava



Que cobre tudo


Amargura em minha boca


Sorri seus dentes de chumbo...






Solidão, palavra


Cavada no coração


Resignado e mudo


No compasso da desilusão...






Viu!


Desilusão, desilusão


Danço eu, dança você


Na dança da solidão...






Camélia ficou viúva,


Joana se apaixonou,


Maria tentou a morte,


Por causa do seu amor...






Meu pai sempre me dizia:


Meu filho tome cuidado,


Quando eu penso no futuro,


Não esqueço o meu passado


Oh!...






Desilusão, desilusão


Danço eu, dança você


Na dança da solidão


Viu!


Desilusão, desilusão


Danço eu, dança você


Na dança da solidão...






Quando vem a madrugada


Meu pensamento vagueia


Corro os dedos na viola


Contemplando a lua cheia...






Apesar de tudo existe


Uma fonte de água pura


Quem beber daquela água


Não terá mais amargura


Oh!...






Desilusão, desilusão


Danço eu, dança você


Na dança da solidão


Viu!


Desilusão, desilusão


Danço eu, dança você


Na dança da solidão...






Danço eu, dança você


Na dança da solidão...






Desilusão! Oh! Oh! Oh!..

Comentários

Carlos disse…
E depois diz que não é Poetisa...

Postagens mais visitadas deste blog

simpatia para parar de chover

Só para seguir a tradição, chove. Nos primeiros dias das minhas férias na praia é sempre o que acontece. O primeiro dia geralmente tem um sol sedutor, um calor de matar, mar lindo. Depois chove. Eu gosto de chuva. Mesmo na praia, mesmo de férias. Mas também gosto de aproveitar o mar, a areia, gosto de caminhar, de tostar no sol e ficar enfarofada junto com o meu filho, usar chinelos em vez de galochas.
Por isso aprendi várias simpatias!
Sueli, que trabalha na minha casa desde a pedra fundamental, disse que se deve jogar um punhado de sabão em pó no telhado. Pedir para Santa Luzia limpar o tempo. Já fiz isso. Considerando o preço do sabão em pó, gostaria de saber se a santa poderia limpar o tempo com sabão em barra. Sem falar que no ano passado sofri um pequeno acidente Bem na horinha que fui jogar o sabão, bateu um vento que trouxe todo o pozinho azul direto para o meu rosto. Nunca tive olhos e boca mais brancos! Sem manchas desde a primeira lavagem.
A avó do meu amigo Felipe, Dona Sa…

a noiva do vento

Peça para uma criança definir o vento. Eu apenas acreditava na existência real do ar quando ele virava vento. Quando era tomado de força, ganhava forma, movimento, atiçava a minha curiosidade. A observação do vento ainda atrai os pequenos. Na pracinha aqui perto havia uma menina sentada à sombra com a mãe. Olhava com atenção as folhas secas que trocavam de lugar no chão. Nem balanço, nem gangorra, a garota estava descobrindo o vento.
O vento tem intimidade com a paixão.
Oskar Kokoschka pintou A NOIVA DO VENTO com pinceladas desesperadas, cores nervosas, num quadro que emoldura a própria enxaqueca do abandono. Na obra, uma mulher adormecida sobre um corpo masculino, cujos olhos não passam de órbita vazia – tradução da ausência de vida. A mulher não o deixa, mesmo que ele já a tenha deixado. Mesmo que ele já esteja morto. A ausência de qualquer conotação sexual pela ausência de cores quentes (vermelho, laranja) e o excesso de tudo aquilo que pode faltar, que remete ao gelo e à solidão pe…

joelho

Coisa bem feia é joelho. Não me afeiçoa a palavra, nem a parte do corpo, em que pese reconheça a importância. Tanto reconheço, que se eu jurar algo pelos meus joelhos, será verdade. Justifico: me falta a memória para lembrar quando a expressão surgiu, talvez, nos idos de 2010. Acho. Eu fui muito dramática em 2010.
Pode ser que, embalada por um café passado, quase frio e sem açúcar, não menos amargo que a pauta da conversa com um amigo, tenha surgido a dúvida sobre algum sentimento que profetizei.
“Jura" - ele deve ter perguntado. “Pelos meus joelhos, juro pelos meus joelhos!” - lembro de ter respondido.
Os joelhos são feios e úteis. São complicados e importantes. Entre o fêmur, a tíbia e a fíbula; colaterais, cruzados e meniscos. É como o amor. Entre o eu te amo, a entrega e a vida; medos, expectativas, preservação.
Por que as crianças estão sempre com os joelhos ralados? Porque são destemidas. Até que se abra o primeiro corte, que se faça a primeira cicatriz. Até que o pai advirta.E…